maio 2009


Então pessoas, desculpa a sumidinha! Mas eu tinha que entregar uma parte do meu TCC esta semana, e isso me deixou meio ocupado demais por uns dias! Hoje não tenho nenhum texto, só algumas coisas legais que aconteceram que vou apontar aqui! Enjoy! =D

—–

A Tectoy lançará agora em 2009 o primeiro videogame feito no Brasil, o Zeebo! Apesar de ter a capacidade entre um PsOne e um PS2, tem como ponto mais interessante o fato dos jogos serem baixados pelo sistema G3, que será acessado de forma gratuita pelos usuários. Bom… a Nintendo teve que lançar o Nes antes de lançar o Wii… Então… É um ótimo primeiro passo!

Susana Vieira, provando que é fina e educada, tomou o microfone da apresentadora Giovanna Tominaga no Vídeo Show que agora é ao vivo! Eu sabia que isso ainda ia me fazer rir!

Ivete “Coxas” Sangalo liberou um dos clipes do seu CD/DVD novo Pode Entrar, que sai agora no próximo mês! É um dueto com Marcelo Camelo!^^

Em minhas buscas por material para o TCC cruzei com o livro “Mangá: O poder dos quadrinhos japoneses”, escrito por Sonia Luyten! E o livro está disponível inteirinho no Google Books! Está sendo uma ótima fonte de pesquisa e recomendo para qualquer um que goste de mangá ou cultura japonesa!

Mylène Farmer lança um produto muito especial para promover sua música Sextonik! Me admira que tanta gente tenha ficado impressionada considerando o currículo da senhora (afinal, quase 50 anos, né?) e o tema da música (vibradores).

—–

E por hora é só!

Certo, sei que o assunto já é meio velho… Mas agora que a hype já passou e que a série foi devidamente digerida, vou falar um pouco sobre Harry Potter!

Comecei a ler por influencia externa (Carol e Fernanda) em uma época em que eu já gostava um bocado de livros (pelo menos em relação a isso eu nunca tive problemas) e devo dizer que me apaixonei logo de cara… O mais interessante aqui talvez seja o fato de que o pacotão escrito pela tia inglesa ex-falida atual milionária seja a forma como ela deu conta de se comunicar com varias faixas etárias no decorrer da série, ou seja, a narrativa pode facilmente acompanhar o crescimento de alguém (como foi comigo) e não só em termos de linguagem, mas também de complexidade.

Os livros foram ficando cada vez maiores no decorrer da série porquê não tinha escapatória em relação a isso… As impressões de mundo de cada personagem mudam, os posicionamentos e crenças mudam… Situações ridicularizadas no começo da série se mostram sensatas e até mesmo urgentes no final da série (como o pensamento de Hermione em relação aos elfos domésticos), assim como fica bem claro a partir de um momento que muitas vezes a diferença entre um grande herói e um grande vilão pode ser apenas a forma mais ou menos direta como cada um age para atingir os mesmos objetivos, afinal… No que Dumbledore e Valdemort eram tão diferentes no final das contas? Dona Rowling é genial ao inverter todos os conceitos formados no decorrer de seis livros e mostrar que o mundo mágico não era tão mágico assim!

No final das contas, temos uma série que apesar de longa e (eu admito) exaustiva em certos pontos, faz uma analise MUITO interessante sobre a sociedade (até mesmo atual, mas não sei se é hora de me aprofundar sobre isso), sobre como tantos preconceitos são disfarçados de cultura e sobre como muitos males vem disfarçados de “tornar o mundo melhor”. Se não tiver lido e tiver saco para ler os sete, recomendo! =)

books_covers_usdh_1

Vi o trailer desse filme que vai estreiar agora em 2009 depois que um amigo me passou um link. Sim, se trata de um romance incestuoso gay. Sim, é o menino que fazia o moleque chato da novela chata do chato do Manoel Carlos (o neto da Lílian Cabral na novela).

Não sei se o filme vai ser bom ou ruim (ainda não me formei em clarividência, mas estou com notas ótimas e devo ser o melhor aluno do curso), tem um ator bem ruinzinho que fez Beleza Pura (não me lembro do nome dele, mas é o irmão mais novo no filme) e tem o Fábio Assunção que como ator é um ótimo peso morto. Por outro lado, parece ser tecnicamente um filme bom, e tem a Júlia Lemmertz, que é uma atriz fantástica. Enfim, a qualidade só pode ser avaliada depois que o filme for visto.

Mas eu estou com a sensação de que muita gente vai gostar desse filme só por ter temática gay (o que pra mim não deve ser fator para avaliar qualidade). Estou também com a sensação de que muita gente vai gostar deste filme só por ter temas polêmicos (já que é “cult” ir contra a igreja, a sociedade, a professora má de matemática…). E eu admito que não entendo como isso pode fazer alguém gostar de algo…

De qualquer forma… Espero que o filme seja bom =)

Prometo que é o ultimo texto seguido sobre música pop, mas esse assunto me veio a mente dia desses (quase me rendeu um atropelamento, bom pra parar de pensar enquanto anda na rua) e o acho bastante relevante dentro deste nicho musical.

Se você é ator, tem duas formas de ser um muito reconhecido… Pode fazer peças e filmes alternativos e se tornar muito famoso no meio do cinema, ou pode fazer novelas e filmes mais comerciais e ser conhecido do grande público (a questão aqui não é qualidade, os dois segmentos têm atores fantásticos, assim como alguns que transitam em ambos com qualidade inquestionável). Se você é músico, também… Pode se apresentar em óperas, orquestras, musicais, festivais de música e ter reconhecimento dentre os demais músicos, mas também pode ser um artista popular, ou pop, lotar estádios, vender milhões e anunciar lanchonete na TV (novamente, tem pessoas incríveis nos dois lados, e também aqueles que transitam bem entre os dois). Mas… e se você for dançarino? Companhias de dança, balés, e talz… Mas… Como ser um grande dançarino pop? Entrar pro É o Tchan? Eles nem existem mais!

Talvez eu esteja errado (e talvez eu seja apedrejado por isto na rua amanhã), mas existe sim um jeito de ser um grande dançarino no pop: Ser cantor! Mas cantores não têm que saber cantar? Mais ou menos… Em inglês existe o termo “enterteiner”, que em uma tradução “neologisismada” seria algo como “entreteridor” … Aquele artista que é bom em entreter! Esta função é meio complicada… Um bom enterteiner tem que ter algo de cantor, dançarino e ator; mas geralmente uma das três habilidades se sobressai… Assim temos vocalistas que são grandes cantores técnicos e precisos, mesmo que isso resulte em uma certa frieza (cantor), tem também aqueles que dão aquela desafinadinha, mas que passam tanta emoção enquanto cantam que as pessoas não se importam (ator) e temos aqueles que dançam pra caramba e que para realizar isso sem desafinar feito um gato no cio sendo espancado, muitas vezes recorrem ao playback.

E isso nem sempre é algo ruim, alias, as vezes é excelente! Madonna que provavelmente é a maior artista pop em atividade (Michael vive de nostalgia) sempre teve um pé muito mais na dança que no canto, e até pouco tempo fazia uso extensivo de playback… Uma de suas performaces mais memoráveis por sinal, Vogue no MTV Vídeo Music Awards de 1990, nem microfone tem! E a preferência pela dança não a impediu de lançar alguns dos álbuns mais significantes da década de 80, 90 e 2000! Sem falar em alguns de seus shows recheados de dublagem que marcaram época. Provavelmente Madonna é a cantora pop mais próxima da arte que existe no cenário atual (e isso já faz mais de 20 anos… Ok, menos, no começo ela não era isso tudo).

Finalizando, quando você quiser jogar uma pedra na testa de Britney, J-lo ou alguma outra dubladora que dança, tenha em mente que: Você pode estar assistindo alguém que apesar de usar música para se expressar, não o faz usando a voz, e sim, o corpo… E o esforço para fazer isso com qualidade as vezes é tão grande (ou maior) do que a de muita diva da voz estática que nem canta isso tudo. =)

Alguns vídeos para ilustrar o post!